MENSAGEM DO DIA

Google+ Followers

Seja um seguidor(a)

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Bibliografia - Jacó

Jacó ou Jacob, filho de Isaac, foi um dos patriarcas da nação de Israel. Teve doze filhos e uma filha chamada Diná, a cada um dos filhos varões correspondeu uma das Doze tribos de Israel.

Sua história encontra-se no livro de Gênesis da Bíblia, o primeiro do Pentateuco, podendo ser lida desde o verso 19 do capítulo 25 sobre o seu nascimento até o relato sobre sua morte e sepultamento que termina no verso 13 do capítulo 50.

Irmão Gêmeo de Esaú, Jacó tinha uma aparência totalmente diferente de seu irmão cujo corpo era coberto de pêlos desde o nacimento. A Bíblia diz que Esaú e Jacó lutavam no ventre de Rebeca e que, ao nascerem, Jacó estava agarrado ao calcanhar do irmão.

Ao crescer, adquiriu do irmão o direito de primogenitura oferecendo-lhe em troca um prato de lentilhas e tomou a sua benção paterna quando se fez passar por Esaú oferecendo a Jacó um alimento preparado por sua mãe, Rebeca. Por causa disso, Esaú tentou matá-lo e Jacó precisou fugir para as terras de seu tio Labão, irmão de sua mãe, em Harã. Durante a fuga, Jacó adormece em Betel, quando teve um sonho de uma escada que ía até o céu por onde os anjos subiam e desciam, recebendo de Deus a promosse de que seria protegido por onde quer que fosse.

Ao chegar no poço de Harã, apaixonou-se a primeira vista por Raquel, filha de seu tio para o qual comprometeu-se trabalhar por sete anos para poder casar-se com ela.

Tendo Jacó vivido na casa de seu tio em Harã por longos anos, ao completar o período pactuado, foi enganado na noite de núpcias, ocasião em que o sogro maliciosamente o enganou fazendo com que Léia, irmã de Raquel, dormisse a primeira noite com Jacó. Assim, Jacó precisou trabalhar ainda mais sete anos para poder casar-se com Raquel.

Tendo prosperado na casa de seu tio, Jacó resolve então voltar para a terra de seus pais em Canaã, pelo que deixa Harã com todo o seu rebanho, precisando fugir do sogro.

No caminho de volta, Jacó passa pelo vale de Nabote quando tem uma outra experiência sobrenatural chegando a lutar a noite inteira com um anjo que, depois de ferir a sua coxa, deu-lhe a benção e mudou o seu nome para Israel. Logo depois encontra-se com seu irmão Esaú e ambos se reconciliam.

Ao habitar em Siquém, Jacó tem sua filha Diná deflorada pelo príncipe da cidade, mas seus irmãos planejam uma vingança à traição sem o consentimento do pai. Depois desse evento, Jacó muda-se para Betel onde tivera o sonho da escada quando tinha fugido de Esaú e edifica ali um altar para Deus.

A partir de então, Jacó passa por várias perdas em sua vida, entre as quais a morte de sua esposa Raquel, seu pai Isaac e do estimado filho José que é vendido pelos irmãos como escravo para o Egito, os quais informam ao pai que teria sido morto por uma fera do campo. E, sem a presença de José, Jacó experimenta mais decepções com sua família, vendo Judá afastar-se dos princípios familiares e se casar com uma mulher do povo cananeu que não tinha os costumes dos hebreus.

Passam anos e Jacó envelhece enquanto José de escravo torna-se o primeiro ministro do Egito. Assim, do capítulo 39 ao 42 de Gênesis, as narrativas focam somente na história de José, até que ocorre uma grande seca que atinge toda a região próxima ao Egito, inclusive a terra de Canaã. Porém, somente o Egito tinha alimento porque José, tendo interpretado o sonho do faraó sobre as vacas gordas e vacas magras, havía armazenado alimento durante os primeiros anos de fartura para que o país sobrevivesse à seca.

Sabendo que no Egito havía alimento, Jacó envia seus filhos para negociarem com os egípcios. José então identifica seus irmãos e cria uma situação para reaproximar-se.

Ao saber que José estava vivo e que governava o Egito, Jacó muda-se para lá e se encontra com o filho onde passa a viver os últimos anos de sua vida, tendo sido muito bem recebido pelo faraó.

Tendo vivido ainda 17 anos no Egito, Jacó adoece e chama todos os seus filhos para abençoá-los antes de morrer. Em suas palavras finais, Jacó profetiza sobre o futuro de seus descendentes que ocupariam a terra de Canaã, mencionando sobre a escolha da linhagem de Judá para que de seus descendentes viessem os futuros reis de Israel e nascesse o Messias. Ao falecer, seu corpo foi sepultado junto com os restos mortais de Isaque e de seu avô Abraão.


Jacó era o terceiro elo no plano de Deus para iniciar uma nação descendente de Abraão. O sucesso deste plano se deu mais "apesar de" do que "em razão da" vida de Jacó. Antes de Jacó nascer, Deus prometera que o plano se desenvolveria através dele, e não de seu irmão gêmeo, Esaú. Embora os métodos de Jacó nem sempre fossem respeitáveis, suas habilidades, determinação e paciência tinham de ser reconhecidos.

A vida de Jacó possui quatro estágios, cada qual marcado por um encontro pessoal com Deus. No primeiro estágio, Jacó corresponde à expectativa de seu nome, que significa "ele agarra o calcanhar" (de forma figurada: "ele engana"). Ele agarrou o calcanhar de Esaú ao nascer e, quando fugiu de casa, também agarrou a bênção e a primogenitura do irmão. 
Durante sua fuga, Deus lhe apareceu no caminho, não apenas lhe confirmando a bênção, mas também despertando nele um conhecimento pessoal sobre si mesmo. 

No segundo estágio, Jacó experimentou a vida pelo outro ângulo ao ser manipulado e enganado por Labão. Então ocorre uma mudança curiosa: o Jacó do primeiro estágio teria simplesmente abandonado Labão, porém o Jacó do estágio dois, após ter decidido partir, aguardou seis anos pela permissão de Deus. 

No terceiro estágio, Jacó estava em um novo papel como agarrador. Desta vez, às margens do rio Jordão, ele agarrou-se com Deus e não queria deixá-lo partir. Ele percebeu sua dependência do Deus que continuara a abençoá-lo. Seu relacionamento com Deus tornou-se essencial para a sua vida, e seu nome foi mudado para Israel, que significa "ele luta com Deus". O último estágio da vida de Jacó foi ser agarrado - Deus realmente o segurou. Ao responder o convite de José para ir ao Egito, Jacó demonstrou claramente não querer tomar nenhuma decisão sem a aprovação de Deus.

Fonte: Wikipédia/Estudos Gospel

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Poderá gostar também de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

POSTAGENS RECENTES