MENSAGEM DO DIA

Google+ Followers

Seja um seguidor(a)

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

As Religiões Dos Famosos - Parte 42

CARLOS ALBERTO DE NÓBREGA
É um consagrado humorista e advogado brasileiro, filho do também humorista Manuel de Nóbrega. Desde 1987 apresenta o programa humorístico "A Praça é Nossa", da emissora de televisão SBT. Iniciou a carreira em 1954, escrevendo quadros humorísticos para o programa “Manuel de Nóbrega”, na Rádio Nacional, em São Paulo. Em 1956 começou a escrever para a televisão, no programa “Zilomag Show”, atuando ao lado de Ronald Golias na TV Paulista (canal 5). Depois passou a trabalhar em outros programas: Golias Show, Espetáculo Tamoyo, Escolinha do Golias e na Praça da Alegria, onde atuou ao lado de seu pai.No final da década de 1950 passou a trabalhar na extinta TV Rio, onde participou dos programas: Rio Te Adoro, Noites Cariocas, O Riso é o Limite e Golias Show.Em 1963, foi para a TV Record de São Paulo, onde passou a escrever e apresentar programas humorísticos como: É Uma Graça Mora, Shows Internacionais. Finalmente em 1966, passou a escrever ao lado de Jô Soares a Família Trapo. Durante todo o tempo em que trabalhou na TV Record, foi o redator principal do “Show do Dia Sete" e do Troféu Roquette Pinto.Na década de 1970 passou à TV Tupi de São Paulo, onde escreveu para o programa “Os Trapalhões”, sendo depois diretor da linha de shows de toda a rede. Em seguida foi para a Rede Globo, onde permaneceu por 11 anos escrevendo, dirigindo e atuando no programa Os Trapalhões.Passou então para o SBT, onde atuou em "A Escolinha do Golias", "Maria Tereza Especial" e "SBT Palace Hotel". Em 1999 participou do humorístico "Ô Coitado", também do SBT e do especial 30 Anos de Chaves, como o Professor Girafales.Tem seis filhos, um casal de gêmeos é de seu casamento de treze anos com Andréa de Nóbrega de quem se separou em 2009. Marcelo de Nóbrega, um dos filhos do primeiro casamento, é diretor do programa A Praça é Nossa.Além de humorista, é também advogado formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e autor do livro "A Luz Que Não se Apaga", que fala sobre seu pai, Manuel de Nóbrega. Também escreveu uma autobiografia, "Essas Coisas só Acontecem Comigo", onde narra suas experiências pessoais e a carreira na televisão. A sua maior marca é o bordão "Ah, Que Pena, Por hoje é só pessoal, mas quinta-feira que vem estaremos de volta novamente. Eu aqui no meu velho e querido banco e vocês aí em todo Brasil porque… A Praça é Nossa!". Carlos Alberto De Nóbrega é Espírita"Meu pai e minha mãe morreram em um intervalo de apenas seis meses, e não rezei e nem pedi nada a Deus. Hoje, estou bem com o homem lá de cima. Não sou de ir à igreja, não tenho religião definida. Meu Deus não precisa de dízimo para me ajudar. Mas eu converso com Deus. Um dia desses, fui me deitar e falei: “Deus, que sacanagem é essa? O que foi que eu fiz?”. Carlos Alberto declarou no Programa do Ratinho (youtube) que é médium e que o seu filho mais novo João Victor é a reencarnação do seu pai e que voltou para poder desfrutar tudo o que Carlos Alberto tem. “Daqui uns 20 anos acredito que o João Victor assumirá meu lugar. Temos uma ligação muito forte e acredito que ele é a reencarnação do meu pai."


PEDRO MANSO
É um humorista brasileiro. É conhecido por imitar celebridades.Nascido em Minas Gerais, iniciou a carreira no teatro e depois foi para o rádio, onde ficou conhecido por imitar celebridades. Na televisão estreou no Plantão de Notícias, exibido na Record Rio e na Band Rio. No rádio participou da Rádio Globo e da Super Rádio Tupi. Ficou conhecido nacionalmente ao participar do quadro "Se Vira nos 30", do Domingão do Faustão, da Rede Globo ao imitar o Fausto Silva. Em 2005 foi para a Rede Record, onde participou do programa "Show do Tom". Foi candidato a Deputado Estadual pelo PRB, não se elegendo.Ficou endividado por causa da política, até hoje paga por isso. Pedro já passou por vários canais de televisão e hoje mantém um show chamado “Fala Silva e seus Convidados”. Faz imitações desde os 12 anos. Sua primeira imitação foi o Galvão Bueno. Nunca teve problemas com as pessoas que ele imita porque sempre faz a imitação com muito respeito. Durante sua infância não passou sede porque morava ao lado de um rio, mas passou fome.Pedro Manso é Evangélico"Há muito tempo não frequento (igreja), mas sou evangélico."

PAOLA OLIVEIRA
É uma atriz brasileira.Paolla é filha de um policial militar aposentado e de uma ex-auxiliar de enfermagem.Antes de ser atriz, fez faculdade de Fisioterapia na Universidade Cruzeiro do Sul e se especializou em Reeducação Postural Global. Aos dezessete anos, começou a fazer comerciais em revistas e na televisão. Por conta desses comerciais, achou necessário estudar teatro na Oficina Mazzaropi, em São Paulo. Ainda antes de se formar na universidade estudou mais artes cênicas na Escola de Atores Wolf Maya. Seu primeiro trabalho na televisão foi na segunda fase da telenovela Metamorphoses, da Rede Record. Já na Rede Globo, conquistou o público no papel da sonhadora Giovana, seu primeiro papel relevante, na telenovela Belíssima. Paola foi protagonista em O Profeta, no papel de Sônia. Nessa telenovela, começou seu namoro com Maurício Mattar. Em Ciranda de Pedra, telenovela das 18hs na Rede Globo, fez a personagem Letícia. Em 2009, fez sua primeira vilã, Verônica, na telenovela Cama de Gato. Em 2 de junho de 2008, Paola foi escolhida rainha de bateria da escola de samba Grande Rio para o carnaval 2009. Em 2009, participou da Dança dos Famosos 6, do programa Domingão do Faustão, tornando-se a grande vencedora, ao lado do professor Átila Amaral. Paola foi convidada pra ser a protagonista da trama das seis de Walther Negrão, Araguaia, mas declinou do convite, alegando precisar de férias. Duca Rachid e Thelma Guedes, com quem Paola já havia trabalhado em Cama de Gato e O Profeta, a reservaram para ser a protagonista de Cordel Encantado, sucessora de Araguaia. Porém, em outubro de 2010, Paola foi chamada às pressas para substituir Ana Paula Arósio no papel da protagonista de Insensato Coração.Seu papel em Cordel Encantado foi assumido pela atriz Bianca Bin. Em 2013, acrescenta uma letra "L" em seu nome artístico em função da numerologia. No mesmo ano pôde ser vista novamente no horário nobre com a telenovela Amor à Vida, de Walcyr Carrasco, na qual interpreta a protagonista Paloma Khoury. Paola Oliveira é fã confessa de Esoterismos, Forças Mágicas e Afins. "Adoro números, astros e sempre prestei atenção na energia que meu nome emana. No começo da carreira, tentei usar Caroline Oliveira, mas sentia que não rolava. As coisas começaram a fluir quando passei a me apresentar como Paola Oliveira. Há pouco mais de um ano, fui a um numerólogo, que sugeriu mudar um pouco minha assinatura para que as energias corressem ainda melhor. Deu várias sugestões, e colocar um "L" a mais em Paola me pareceu a mais sutil. Para quem acredita nessas coisas, meia palavra já basta. Decidi, então, mudar meu nome de trabalho, mas não alterei documentos nem nada. E minha vida melhorou mesmo depois disso.Fui criada em uma família católica pouco praticante, mas hoje não tenho religião. Não preciso das doutrinas e rituais dessas instituições. Como boa brasileira, tenho fé e misturo as crenças. Rezo a ave-maria quando fico com medo de avião, acendo velas para meu anjo da guarda, adoro um incenso e faço mapa-astral. Sou agarrada em uma promessa, costumo fazer. Fiquei um ano sem comer chocolate, que adoro. Também acredito em energia. Acho que o jeito como você acorda e chega ao trabalho vai influenciar tudo ali. Meu lema de vida é não "baixastralizar", como diz Camila Pitanga. Se as coisas estão dando errado e você se fecha, elas só pioram."


FERNANDO HENRIQUE CARDOSO
É um sociólogo, cientista político, filósofo, professor universitário, escritor e político brasileiro. Professor emérito da Universidade de São Paulo (USP), lecionou também no exterior, notadamente na Universidade de Paris. Foi funcionário da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), membro do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento(CEBRAP), senador da República (1983 a 1992), ministro das Relações Exteriores (1992), ministro da Fazenda (1993 e 1994) e o 1°presidente do Brasil a ser eleito para 2 mandatos consecutivos (de 1995 a 1998 e de 1999 a 2002). É comumente referido pelo acrônimo de seu nome completo FHC.Em 1997, FHC privatizou a companhia Vale do Rio Doce, fundada pelo governo federal em 1942, vendendo a parte acionária pertencente ao governo (aproximadamente 27%) e seu controle. Atualmente a Vale do Rio Doce é a maior empresa privada do Brasil, com valor de mercado estimado em 127 bilhões de dólares. Em 20 de dezembro de 2003 o Correio do Brasil lança, em São Paulo, o Selo Homenagem ao Presidente Fernando Henrique Cardoso, tradição prestada aos presidentes que concluem mandato . Em 2004, FHC fundou o Instituto Fernando Henrique Cardoso, uma instituição sem fins lucrativos que pretende reunir sua obra e propor discussões sobre o Brasil e a América Latina. Foi professor at large do Watson Institute for International Studies (Brown University) de 2003 a 2007. Em 2004, foi eleito um membro da placa consultiva da Universidade do Sul da Califórnia, Centro da Diplomacia Pública. Em 2005, foi eleito, através de uma votação feita pela internet e organizada pela revista britânica Prospect, um dos cem maiores intelectuais ainda vivos do mundo. É membro do Clube de Roma. Em 2005, tornou-se Doutor Honoris Causa pela Universidade de Montreal. Sua mulher, a antropóloga Ruth Cardoso, faleceu em 24 de junho de 2008 vitimada por uma arritmia cardíaca. Foi considerado pela revista Época um dos cem brasileiros mais influentes do ano de 2009.Em 2010, novamente foi apontado pela Época como um dos cem brasileiros mais influentes do ano, comprovando a sua influência no cenário da política nacional. Atualmente, Fernando Henrique Cardoso preside o Instituto Fernando Henrique Cardoso (iFHC) fundado por ele em 2004 e participa de diversos conselhos consultivos em diferentes órgãos no exterior, como o Clinton Global Initiative, Brown University e United Nations Foundation. Ocupa também a cadeira n° 36 da Academia Brasileira de Letras (ABL) desde 27 de junho de 2013, com a morte do jornalista João de Scantimburgo. Fernando Henrique Cardoso é Católico"Meu pai era positivista de formação. O pai dele foi seminarista e um marechal do regime militar, além de republicano. Por alguma razão, não sei qual seja, a minha avó paterna, que nasceu no Rio por volta de 1875, não acreditava em Deus, ao passo que o marido dela, esse meu avô, sim; seja como for, ela não transmitiu aos filhos nenhuma formação religiosa. O meu pai não sabia rezar e os irmãos dele, também não. Essa minha avó sempre foi muito crítica, muito cética; ela me influenciou muito. Já a minha mãe estudou em um colégio de freiras, embora o pai dela fosse protestante. Ou seja, era uma confusão: a minha mãe tinha uma religião misturada, vaga.A certa altura, eu, que nunca tinha estudado em colégio religioso – do curso primário ao ginásio, estudei num colégio chamado Perdizes e no Colégio São Paulo, que não existem mais –, fiquei muito católico. Por minha conta, não por conta dos meus pais; o meu pai era tolerante, não era religioso mas era muito aberto, e a minha mãe tinha essa religião confusa, basicamente católica também, mas confusa. Fiz a primeira comunhão… bem, batismo e crisma, por tradição, sempre se tinha; andava com escapulário e ficava muito nervoso porque a minha irmã era menos católica do que eu. Na hora de dormir, eu queria rezar um rosário, e a minha irmã apenas um terço, e eu ficava desesperado porque ela não rezava muito! Os meus pais não se tinham casado no religioso, casaram-se por minha causa. A Ruth era de formação católica, estudou no Des Oiseaux. Quando a conheci, ela estava saindo de lá. Eu, a essa altura já não era, mas ia à missa com ela. Depois fui por outros caminhos e fiquei sem esse tipo de coisa, mas até hoje gosto de ir à missa. Quando posso, gosto de assistir mesmo pela televisão, e também quando viajo, vou à Europa, gosto de ir; lembro-me até, certa vez em Barcelona, de uma missa da qual não entendi grande coisa, pois era em catalão. No fundo, a minha formação é católica. Não tive outra. E até hoje essa coisa fica, deixa um substrato. Certa vez, quando eu era presidente, o D. Eugênio, que é um homem de quem gosto muito (como também do D. Paulo), foi ver-me e me trouxe um crucifixo. Disse: “Olha, este crucifixo foi abençoado pelo Santo Padre. Você não precisa rezar, não precisa nem guardá-lo…”. Bem, enquanto estava na presidência nunca mais tirei da minha cabeceira esse crucifixo que o D. Eugenio me deu. Por respeito? Certamente, mas não só. Há algo mais… Sabe Deus. Ou seja, não sou intolerante. Meu pai não tinha noção dessas coisas, não sabia rezar, mas era tolerante. Penso que tem de haver um espaço para isso… Sabe Deus…"


STEFHANY ABSOLUTA
Stefhany é uma cantora brasileira. Começou a cantar aos 8 anos, desde a noite em que a mãe, Nety França, que era vocalista de uma banda e se apresentava num show vazio, teve a ideia de passar o microfone para a filha. Com a voz de Stefhany soando alto, o lugar lotou. Ali estava um exemplo do que aconteceria sempre na vida dessas duas: transformar dificuldades em oportunidade. Stefhany tem por Nety grande admiração, pois a mãe a criou sozinha – o pai vendia carros. Um dia, pegou um carro, foi para a Bahia e nunca mais voltou. Stefhany e as irmãs ainda eram crianças e Nety costurava e cantava para sustentá-las. Aos 13 anos, Nety pôs Stefhany pra cantar numa banda de forró. Sempre batalhando para fazer da filha um sucesso, Nety tornou-se backing vocal de Stefhany, e fez questão de fazer todas as roupas usadas no show da cantora. Stefhny se espelha na mãe em quase tudo que sabe. Foi um fã quem colocou o vídeo da música "Eu Sou Stefhany" no Youtube, vídeo este produzido de forma caseira, chegando a sofrer muitas criticas, devido a baixa qualidade do clip. Seu hit é o maior sucesso na internet. Por causa desse vídeo, hoje, a moça de origem humilde é também conhecida como Beyoncè do Piauí, e já esteve no programa Domingo Legal, Eliana, Super Pop, etc..., ganhou seu tão sonhado Cross Fox amarelo no Caldeirão do Hulck. A forma ousada como se veste e o estilo brega das canções tornou a cantora conhecida nacionalmente. Em 2011 ela chegou a formar uma dupla com sua irmã, Ari Loba, lançando o disco “Somos Absolutas”, mas a parceria acabou e ambas voltaram a seguir carreiras solo. Stefhany Absoluta é Evangélica“Desde criança fui criada na igreja evangélica, minha avó é cristã, minha mãe também, é onde me sinto completa e feliz”, afirmou.

MAISA SILVA
É uma atriz, apresentadora e cantora mirim brasileira. Ela foi descoberta em 2005, quando atuou no programa de Raul Gil, na Rede Record e, depois, na Rede Bandeirantes, dublando sucessos do grupo Rouge, de Ivete Sangalo e de Wanessa Camargo. Em 2007, Maisa transferiu-se para o SBT, para apresentar o programa Sábado Animado, atendendo a telefonemas de crianças com jogos e prêmios. Apresentou também os programas infantis Domingo Animado e Bom Dia & Cia. Em 2008, o programa de Maisa aos sábados conseguia, por algumas vezes, mais audiência do que o programa TV Xuxa na Rede Globo. Ainda em 2008, começou a participar do Programa Silvio Santos, no quadro Pergunte para a Maisa. A produção do Sábado Animado adotou como estratégia usar um figurino que associasse Maisa à atriz-mirim da década de 1930, Shirley Temple. Maisa já participou como cantora em algumas oportunidades no Programa Do Raul Gil, mas, somente em 2009, com o Especial Dia Das Crianças Com Maisa, resolveu entrar na carreira musical, lançando seu primeiro CD Tudo que Me Vem na Cabeça. Deixou o Bom Dia & Cia no dia 12 de outubro de 2011, para interpretar Valéria Ferreira, no remake da novela Carrossel, trama adaptada por Iris Abravanel. Retornou para o programa em abril de 2013, ao lado de Ana Vitória Zimmerman e Matheus Ueta. Inicialmente apresentava sozinha às segundas e quartas, mas, com o ingresso de mais apresentadores, que em revezamento comandam o infantil, passou a dividir a apresentação com Ana Vitória Zimmerman. Maisa Silva é Católica. "Eu sou católica praticante. Eu adoro ir à igreja aos domingos. É muito bom. Sempre que dá tempo, eu vou com a minha família."

FERNANDA MACHADO
É uma atriz brasileira, natural de Maringá, no Paraná. Estreou na televisão em 2004, na Rede Globo, na novela Começar de Novo, de Antônio Calmon e Elizabeth Jhin. No ano seguinte deu vida à Dalila em Alma Gêmea, na mesma emissora. Em 2007, no entanto, teve um papel de maior destaque como Joana em Paraíso Tropical, novela de Gilberto Braga e Ricardo Linhares, sendo este considerado seu melhor trabalho na televisão.Sua atuação lhe rendeu o prêmio de melhor atriz coadjuvante no Prêmio Melhores do Ano, do Domingão do Faustão.Tanto em Alma Gêmea quanto em Caras & Bocas, as personagens que Fernanda interpretou começavam como vilãs da história, mas acabaram se "redimindo" no decorrer das tramas. Em 2011 fez uma participação especial na novela Insensato Coração. Em 2013 retorna ás novelas em Amor à Vida, onde interpreta mais uma vilã, desta vez a ambiciosa Leila.A artista também atuou em quatro filmes, entre eles, o mega sucesso Tropa de Elite.Fernanda já namorou o ator Jorge Pontual, e o fotógrafo Marcelo Faustini. Fernanda Machado é Católica. "Sou católica, tenho um terço que eu ganhei da minha avó, e que eu vira e mexe uso no meu pescoço para me proteger."


Fonte: Variedades Gospel Veras
Com informações:Revista Cláudia\Caras Online\Paraíba\Gospel Prime\
Diario de S. Paulo
TV Foco\Wikipédia\Stefhanyabsolutaoficial\Dicta\SBT

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Poderá gostar também de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

POSTAGENS RECENTES